Dilly abre fábrica em Brejo Santo e vai gerar 2,5 mil empregos

A instalação da fábrica da Dilly Calçados em Brejo Santo irá gerar cerca de 2,5 mil empregos diretos em 2016, quando o empreendimento atingir a capacidade máxima. Com sede no Rio Grande do Sul, cerca de 90% do corpo de funcionários será no Ceará. A partir do ano que vem o número de funcionários ficará entre 350 e 400.

Com sede no Rio Grande do Sul, cerca de 90% do corpo de funcionários da nova unidade da indústria de calçados no Ceará será do Estado. A partir do ano que vem, o número de funcionários ficará entre 350 e 400 FOTO: SILVANA TARELHO

O investimento da indústria está da ordem de R$ 80 milhões até a data e a produção será três milhões de pares de calçados por ano. O valor inclui as instalações físicas da fábrica gaúcha pelo governo cearense e pela prefeitura como parte de um pacote de incentivos composto por dez anos de isenção de ICMS, além de equipamentos adquiridos com recursos próprios do grupo e financiamentos.

A sede da empresa, com as áreas administrativa, comercial e de pesquisa e desenvolvimento, é em Novo Hamburgo, núcleo do polo calçadista gaúcho. "A cabeça está no Rio Grande do Sul e o corpo, no Nordeste", comentou Alessandro Dilly, diretor da empresa.

Implantação

A produção da empresa já começa este mês em um pavilhão provisório e o primeiro módulo do futuro prédio está previsto para ficar pronto entre julho e agosto deste ano, quando a fabricação de pares deve atingir um milhão.

A produção dos tênis Diadora, porém, só deve alcançar esse volume no terceiro ano de operação.

A inauguração da fábrica será hoje, às 21 horas, com a presença do governador Cid Gomes.

Destaque no País

O Ceará é referência em desenvolvimento e em competitividade na área do mercado calçadista, conforme declarou o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, em visita ao Estado, em setembro do ano passado.

Klein aponta três pontos que considera de maior importância para o Ceará em relação a sua participação no desenvolvimento produtivo da indústria brasileiras de calçados.

"Primeiramente, o Ceará reúne todas as condições e fatores de competitividade para o desenvolvimento industrial, tanto que já tem assumido a liderança na produção de calçados do País. Em segundo lugar, a indústria calçadista vem obtendo um apoio privilegiado no que se refere aos investimentos na Região. O que precisamos é prosseguir com esse desenvolvimento para consolidar a cadeia calçadista como um todo no Estado. E o terceiro aspecto diz respeito a sua posição estratégica do ponto de vista geográfico em relação ao mercado internacional", lista. Conforme a Abicalçados, em agosto, o Ceará foi responsável por mais de um terço ou 34,4% do total de calçados exportados pelo País.
Com informações do Diário do Nordeste

O que achou?

Deixe sua opinião aqui!