COMITÊ ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO ÀS DROGAS DO MP REALIZA ENCONTRO EM ITAPIPOCA


O Comitê Estadual de Enfrentamento às Drogas do Ministério Público do Estado do Ceará, com o apoio da Escola Superior do Ministério Público (ESMP) e do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG), realizou o VII encontro ?Construindo ações intersetoriais e interdisciplinares?, na manhã desta segunda-feira (20), no Polo da Universidade Aberta do Brasil (Antigo NIT), em Itapipoca.

A abertura do encontro contou com as presenças do procurador-geral de Justiça, Ricardo Machado; da vice-procuradora geral de Justiça e presidente do Comitê, Eliani Nobre; da promotora de Justiça de Defesa da Saúde Pública e secretária do Comitê, Isabel Pôrto; da promotora de Justiça daquela comarca, Camila Leitão, além de membros do Ministério Público e autoridades locais convidadas; da procuradora-geral do município de Itapipoca, Vânia Andrade Carolino; da presidente da Câmara de Vereadores, Ana Paula Veras; do representante da OAB, advogado José Eurian Assunção; e do juiz José Ricardo Almeida.

Quase 400 pessoas estavam na plateia, dentre eles, secretários municipais, bem como com os representantes do CAPS, do CREAS, do CRAS e do Conselho Tutelar do Município. Segundo Ricardo Machado, o Ministério Público, em suas funções judicial e extrajudicial, tem se notabilizado pela cobrança e fiscalização das políticas públicas. Conforme disse, ao Ministério Público coube, de modo amplo, fazer um trabalho de articulação, buscando parcerias no enfrentamento às drogas, consideradas ?praga e chaga social, que atinge a todos indistintamente?.

Para o procurador-geral de Justiça, a droga dilacera as mentes, desequilibrando a família e a comunidade, ao mesmo tempo em que se desdobra numa série de malefícios, tendo como efeitos a prática de delitos. ?Por isso é que este problema merece uma ação eficaz de todos nós. O Ministério Público está aqui para contribuir com o anseio de combate às drogas e salvarmos esta jovem geração?, acredita.

De acordo com Eliani Nobre, a disseminação das drogas é um dos ?maiores malefícios ao homem hodierno?, uma vez que a família passa por um momento de perda de referências, com a fragilização da figura dos pais. ?O aspecto central é a participação efetiva da família e da sociedade. O direito a ter uma vida de qualidade é dever do estado?, informou. A vice-procuradora-geral fez um breve relato dos outros encontros.

Ao citar as palavras de Wagner, segundo as quais ?as drogas tem sido o assunto nosso de cada dia, não o pão, mas o veneno da alma?, Eliani Nobre destacou ser imprescindível a aliança entre a sociedade, a família e o Estado na busca pela amenização das mazelas sociais, como a droga. Para a vice-procuradora-geral de Justiça, o Ministério Público deve se mostrar presente na busca do efetivo cumprimento das políticas públicas constitucionais vinculativas.

A promotora de Justiça Camila Leitão afirmou que a droga está em evidência no noticiário brasileiro, observando que este cenário de crueldade era o que mais lhe assustava, diante do processo nefasto de cancelamento do futuro. Ela reforçou que o Ministério Público se incorpora à soma de esforços contra as drogas. Ao citar a biografia do ex-jogador de futebol e comentarista esportivo Casagrande, Camila Leitão tratou sobre a relação de co-dependência.

Ela ressaltou que não se pode discutir o problema das drogas sem se falar da absorção dos problemas por parte dos familiares codependentes. ?Há a preocupação de controlar as ações, atitudes, erros e acertos dos outros. Só quem pode aquilatar o sofrimento é quem o vivencia, porque toda a família adoece?, considerou. Camila Leitão entende que, em seu labor, a vida tem ensinado que todos tem uma missão. ?Aprendemos com os açoites da sorte, no  nosso sacerdócio de zelar pelo bem?, reconheceu.

O primeiro painel foi apresentado, às 10h, pela terapeuta ocupacional e gestora da Dependência Química do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto, Sandra Ribeiro. Ela discorreu sobre a ?Drogadição e Saúde Mental?. Às 11h, o presidente do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas do Ceará, major Edson Edalcio Aragão Silva, ministrou o painel ?O papel da Segurança Pública no enfrentamento às drogas?.

No período da tarde, o advogado e membro da OAB - Subsecção de Itapipoca, José Djalro Dutra Cordeiro, apresentou o Painel III ? ?Dos Malefícios provenientes do uso das drogas e política de prevenção?. Em seguida, o vereador de Fortaleza, Paulo Diógenes, ministrou o Painel IV.

Depois, foram formulados quatro grupos de trabalho divididos entre: prevenção, tratamento, reinserção social e segurança pública. Após esta etapa, será constituída uma plenária com elaboração das conclusões e indicação de boas práticas e fluxos de atendimento a serem adotados no âmbito do enfrentamento às drogas.

Fonte: Ascom

 Foto: Elizabeth Alves

O que achou?

Deixe sua opinião aqui!